Advento

O ESPAÇO NO TEMPO LITÚRGICO

ADVENTO

 

Regina Machado Steurer

 Celebramos nossas diversas liturgias nos diferentes tempos litúrgicos sempre no mesmo espaço, o mesmo salão, com os mesmos mobiliários, a mesma igreja. Também a vida possui o mesmo cenário para desenvolver sua liturgia, a mesma montanha, o mesmo rio, as mesmas árvores, o mesmo céu. Mas a natureza, com o dia e a noite, as diferentes estações, o frio e o calor, a chuva e o vento e os diferentes perfumes enriquecem o cenário e nos tira da rotina.

Deveríamos nos inspirar na natureza para preparar os locais de celebração para as diferentes liturgias nos diferentes tempos litúrgicos.

A natureza tem o artifício da luz e da sombra, das cores, dos cheiros. No inverno, a tristeza é expressa com pouca luz, o dia é mais curto, poucas cores, as flores estão ausentes, o frio também nos deixa mais quietos, alguns animais até hibernam. No verão, a água abundante faz o verde mais bonito, há cores, ficamos mais animados, os dias são maiores que as noites. A primavera, com sua explosão de sensualidade, e o outono que já nos prepara para a tristeza do inverno. Não seria o Advento a primavera a nos preparar para a vinda do Messias, tempo de purificação e de alegria moderada?

Ao prepararmos a liturgia e o espaço podemos e devemos enriquecê-los para as diferentes liturgias. Mas, atenção, sempre com muita discrição, sem exageros, sem esconder o essencial, sem perder o referencial. E sempre coerente com o tempo litúrgico.

Na semana que vem falaremos sobre o uso da luz, das cores, da decoração e das flores na liturgia.